O tempo escasseia...


O tempo escasseia…. Cientistas, ”profetas”, falam do fim dos tempos ou melhor dizer o fim de uma civilização. Já entramos no novo ciclo e na nova era, a era de Aquário.

Nestes tempos conturbados, de grandes mudanças a nível da humanidade, a nível do planeta, a nível das consciências, precisamos mudar o nosso nível de ser, o nosso nível de vibração.

Para que isso aconteça precisamos efectuar uma transformação interior, trabalhar sobre nós mesmos. É necessário mudar a nossa forma de pensar, de agir, de falar. Tomar continuamente consciência das nossas dúvidas, medos, sofrimentos, tristezas, a nossa falta de fé e confiança em nós-mesmo.

Esse trabalho deve ser constante com a ajuda da força de vontade, da coragem, da persistência para nos transformar, criando e cultivando a paz, a alegria, a sabedoria, a harmonia, o Amor, com a consciência do nosso sol interior.

Neste blogg podem encontrar alguma orientação. Mas o site http://www.ducielalaterre.org/ é muito mais completo.

Anna Carolina

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Lição nº 69

 
Mensagem de um Atlante

«Venho do vosso passado mas existo também no vosso presente e no vosso futuro, sou de certa forma eterno, para vocês pelo menos. Venho do que foi para vocês a Atlântida. Podem crer que realmente existiu!
Venho para vos alertar. Vieram reencarnar para tentarem não cometer o mesmo erro, mas os erros perpetuam-se porque a sabedoria ainda não mora em vocês. (falo da humanidade em geral).
Morei numa dessas ilhas maravilhosas que formaram o continente Atlântida. Quando aí vivia era o paraíso, pelo menos o que poderia ser o paraíso para vocês. Os seres da minha época consagravam uma grande parte da sua vida a criar beleza e a viver o mais possível na harmonia. As trocas entre os seres eram francas, puras e honestas.
Vivemos muito tempo nesse espírito de comunidade, de solidariedade, de fraternidade. Depois aceitámos nas nossas magníficas ilhas seres que não tinham de forma nenhuma a mesma forma de conceber a vida como nós. Não desconfiámos e fomos submersos por uma força destruidora que não podíamos compreender, que não podíamos analisar e não fomos capazes de nos proteger.
Vocês vão viver de novo, de outra forma claro, alguns eventos que vivemos. No entanto nada se apresenta da mesma forma porque as almas evoluem entre as encarnações e também durante as suas múltiplas encarnações.
Como sabem, muitos dos vossos irmãos atlantes actualmente estão encarnados neste mundo, essencialmente no ocidente, nos Estados-Unidos e na Europa. Aqueles que reencarnaram nos Estados-Unidos foram aqueles que tinham muito por aprender dos seus revés, aqueles que tinham que reparar todo o dano que criaram aos que respeitavam totalmente as Leis Divinas.
Aqueles que vieram destruir-nos estavam totalmente dominados por um feroz desejo de posse, dominação, poder. Sabíamos que chegaria o momento em que não poderíamos defender-nos ou combater, fosse fisicamente ou espiritualmente, porque não possuíamos as mesmas armas. Então a nossa civilização e o nosso mundo foram dizimados.
Eu, que vos falo não vivi a destruição, vi-a de outra forma porque fazia parte daqueles que vieram salvar os seres que ficaram ligados ao Divino, aqueles que não estavam perdidos na tormenta, aqueles que tinham guardado a conexão espiritual. Eramos muito numerosos para evacuar esses seres que eram os nossos próximos mas igualmente seres de outras partes da vossa Terra que foi muito tocada por transtornos.
Se vos conto tudo isso hoje é para vos dizer que nada é inofensivo seja nos vossos comportamentos, nas vossas palavras ou no que utilizam a nível dos recursos da vossa mãe Terra. Quando não há mais respeito, quando não há mais essa consciência que deve unir toda a vida, quando não há mais Amor manifestado, quando não há mais fraternidade, tudo desaba obrigatoriamente de uma forma ou outra.
Ficaram nas vossas memórias histórias do dilúvio. Não vêm da Atlântida, é um pouco mais antiga. Várias civilizações foram destruídas unicamente porque os homens não respeitaram as Leis Divinas, porque os homens não eram conscientes do que eram, de quem eram e não tinham consciência que a Fonte se manifestava à sua volta em permanência. Não tinham consciência da nave que é este maravilhoso planeta que era e ainda é um ser vivo.
Vocês estão exactamente no mesmo ponto que todas essas civilizações que viveram neste mundo e que não compreenderam, através do seu comportamento, que não davam graças à Fonte em permanência, e que estavam ligados não só ao seu planeta mas a tudo o que vive.
Não estou aqui para vos falar de catástrofes, estou simplesmente presente para vos dizer que o que foi será! Enquanto os homens não compreenderem, o processo reproduzir-se-á por ele mesmo ao fim de certo tempo.
Aqueles que foram salvos e ajudados no mundo, nas civilizações, porque tinham compreendido, porque ajudaram, porque tinham anunciado as mudanças, tinham como missão, como eu hoje, ajudar o mais possível para que esta nefasta aventura não se reproduzisse mais.
Esta aventura nefasta para a mãe Terra não se reproduzirá nunca mais quando este ciclo tiver terminado! A vossa mãe Terra tornar-se-á a mais bela escola de todo o vosso sistema solar, de todas as vossas galáxias e muito além!
Imaginem a vossa Terra tornar-se um lugar privilegiado de descanso, de renovação , um lugar em que os seres vindos de varias galáxias, de vários mundos, de vários sistemas solares virão renovar-se, regenerar-se ao Amor puro, à beleza. Tudo será recriado numa imensa beleza. Crescerão nesse mundo árvores esplêndidas, florescerão neste mundo plantas magníficas e flores de que nem fazem ideia.
Virão a este mundo animais com imensa meiguice, com imensa beleza, viverão nesse mundo seres humanos ligados permanentemente ao sagrado, ao Divino, seres humanos que acolherão a vida vinda de todos os lugares com um imenso Amor, um respeito imenso, uma alegria imensa.
Se o desejarem, poderão ser aqueles que acolherão a vida dessa forma, terão a escolha porque foram formados por uma escola severa. Muitos de nós tornarão a viver esse renascimento porque amamos muito este planeta tão atraente e tão belo.
Lembrem-se de quem são, lembrem-se do que foram!»
 

Pode reproduzir o texto seguinte e dar cópia dele sob a seguinte condição:
  • que não seja cortado
  • que o seu conteúdo não seja modificado
  • que faça referência ao nosso site http://ducielalaterre.org
  • que o nome de Monique Mathieu seja mencionado

Sem comentários:

Enviar um comentário