O tempo escasseia...


O tempo escasseia…. Cientistas, ”profetas”, falam do fim dos tempos ou melhor dizer o fim de uma civilização. Já entramos no novo ciclo e na nova era, a era de Aquário.

Nestes tempos conturbados, de grandes mudanças a nível da humanidade, a nível do planeta, a nível das consciências, precisamos mudar o nosso nível de ser, o nosso nível de vibração.

Para que isso aconteça precisamos efectuar uma transformação interior, trabalhar sobre nós mesmos. É necessário mudar a nossa forma de pensar, de agir, de falar. Tomar continuamente consciência das nossas dúvidas, medos, sofrimentos, tristezas, a nossa falta de fé e confiança em nós-mesmo.

Esse trabalho deve ser constante com a ajuda da força de vontade, da coragem, da persistência para nos transformar, criando e cultivando a paz, a alegria, a sabedoria, a harmonia, o Amor, com a consciência do nosso sol interior.

Neste blogg podem encontrar alguma orientação. Mas o site http://www.ducielalaterre.org/ é muito mais completo.

Anna Carolina

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Lição de Sabedoria nº 35

«Quanto mais se afinarem, mais inconscientemente estarão em relação com todos os elementos. Essa relação que terão com as suas energias poderá perturbar-vos se não conseguirem canaliza-la correctamente.
Cada elemento gera uma energia visível através dos seus efeitos mas essencialmente invisível. Um vento forte liberta uma energia imensa, não necessariamente aquela que os vossos olhos se apercebem, pois ela está além da percepção que o vosso corpo pode ter. O vento tem um imenso poder que ainda não perceberam realmente.
Aqueles de vocês que tiverem a percepção disso recordam-se inconscientemente de outras existências em que sofreram a grande fúria dos elementos. Tudo o que viveram desde que decidiram experimentar a vida na matéria está inscrito nas vossas memórias, no vosso maravilhoso computador de bordo que é cem mil vezes superior a tudo o que poderia inventar a humanidade terrestre ou outras humanidades. Em todas as experiências vividas nada se perde, tudo fica inscrito, deste a mais pequena à maior experiência.
O que dizemos a respeito do vento é igualmente válido no que diz respeito à água e ao fogo. É preciso estarem em ressonância de Amor com os elementos enfurecidos ou violentos. Não só é preciso enviarem para esses elementos muito Amor e Luz, mas é preciso falarem-lhes. Por vezes conseguirão acalmá-los pois o vosso coração terá expresso realmente o Amor. Por vezes não conseguirão, mas além da violência aparente sentirão algo de tão maravilhoso e poderoso que qualquer medo desparecerá, porque terão conseguido entrar em harmonia com a Energia atrás da energia.
É importante que compreendam isso, porque a humanidade será mais ou menos confrontada com a fúria da água, a fúria do fogo, a fúria dos ventos muitos violentos, das tempestades, dos ciclones.
Se enviarem uma energia de medo sobre esses elementos, ela se voltará para vocês multiplicada. Se lhe enviarem uma energia de Amor, não só ela vos tranquilizará mas também tranquilizá-los-á.
Dirijam-se com Amor e humildade aos deuses que geram esses elementos. Tomem consciência que por detrás dessa aparência visível aos vossos olhos existem grandes forças.
Existe um poder extraordinário no elemento água. A água é uma entidade viva. Também há um poder extraordinário no elemento fogo, pois também é uma entidade viva muito além do que podem imaginar.
A água, o fogo e o vento têm um pensamento e uma consciência diferente da vossa e sabem porque agem desta ou daquela forma. Muitas vezes agem desta ou daquela forma a pedido da Mãe Terra e em reacção à violência dos homens e das suas formas-pensamento.
Se os seres humanos pudessem estar realmente em paz com eles mesmos, nenhum elemento se enfureceria. Tudo estaria tranquilo e calmo à sua volta.
A humanidade vai atravessar gigantescos furacões. Não serão necessariamente furacões exteriores, serão furacões interiores, modificações completas no comportamento, no sistema social, no sistema económico, no sistema relacional e afectivo, na consciência da vida. Transtornos terríveis e maravilhosos (porque a palavra terrível serve ser acompanhada da palavra maravilhosa) estão agora à vossa porta.
Os homens são movidos por forças que eles enfurecem pela sua própria força mental e pela ressonância que as forças que emitiram tiveram com certas forças do Universo.
Nos meses que virão, muitas coisas insólitas acontecerão no que chamam a França, esse pequeno lugar do mundo ou também em outros lugares do mundo. Pouco importa os nomes dos países porque para nós só existe uma Terra! Muitos seres humanos questionar-se-ão.
Está claro que os vossos governos vos esconderão o essencial, mas é preciso que saibam que estes, assim como os cientistas, ficarão completamente enlouquecidos nos dias, meses e anos que vierem. Estarão na incompreensão total. Pedirão conselhos a entidades que não pertencem a este mundo mas estas não poderão responder-lhes porque o que acontecerá no vosso planeta não fará parte da sua compreensão.
O que acontecerá é realmente o início da transição visível sentida profundamente. Não se esqueçam que penetram cada vez mais no cinturão de fotões que gera grandes reacções em tudo o que vive na vossa Terra e muito além.
O que vos pedimos, aconteça o que acontecer, é sobretudo não terem medo. Tenham uma confiança total, deixem-se guiar pelo Amor Universal, deixem-se guiar na paz e na alegria. Até diríamos: que importância tem a vossa pequena existência? É apenas uma pequena passagem na eternidade da Vida! Sem ir tão longe, a vossa vida sendo no entanto preciosa, tentem guiá-la o melhor possível
Pedimo-vos com grande insistência para cortarem com tudo o que viveram como sofrimento, amargura, não-perdão para vós mesmos ou para com os outros. Tentem libertar-se totalmente de todo esse peso inútil. Desbravem cava vez mais o terreno do vosso coração, da vossa consciência. Aliviem-se o mais possível. Considerem a vida de forma diferente daquela que consideram actualmente. Relativizem tudo o que acontece no vosso meio familiar, no vosso meio relacional, no vosso pais e no vosso planeta.
Pedimo-vos com grande insistência para se centrarem o mais possível, evitarem as iras interiores, as excitações inúteis. Guardem a vossa calma e a vossa serenidade! Não é excitando-se que as coisas se resolvem em vocês, à vossa volta e no vosso planeta! Tenham um olhar novo sobre vós mesmos, sobre a Vida, sobre os elementos! Pedimo-lo com insistência pois têm a capacidade para fazê-lo, tornem-se um pouco mais ajuizados!
Se soubessem a felicidade que a Sabedoria traz, trabalhariam a dobrar, como dizem na Terra, para a alcançarem cada dia mais.
Pedimo-vos para terem essa consciência. Quanto mais as coisas se degradarem à vossa volta, mais deverão ficar centrados, aconteça o que acontecer! É preciso que em nenhum momento percam confiança, porque a vossa confiança e a paz interior são a vossa âncora! Dessa forma, não serão levados por nenhuma tormenta. Dessa forma também poderão ajudar, apaziguar, acalmar aqueles que estão à vossa volta e que não têm a capacidade de compreender, de viver o que vocês viveram e compreenderam.
Chegaram a uma viragem da vossa civilização, da vossa evolução, da vossa humanidade. Não falhem o caminho certo! Ele está à vossa frente, luminoso e bem iluminado! No entanto vários caminhos se abrem à vossa frente, não se desviem do caminho! Mesmo que esse caminho vos pareça ainda difícil e pesado porque estão ainda sobrecarregados com muitos fardos, continuem apesar de tudo pedindo ajuda como vos ensinamos.
Durante os momentos de seca, podem pedir com todo o vosso Amor ao Deus da chuva para vir abençoar a Terra com a sua água maravilhosa. Podem pedir-lhe para regenerar tudo o que estiver seco e para vos regenerar também, porque vocês não têm consciência, mas o vosso organismo também sofre profundamente com a seca e o calor. Quando estão centrados, conseguem inconscientemente rectificar e compensar. Mas se isso durar muito tempo, é penoso para vocês, impossível até resistir a certas dificuldades, excepto se ficarem profundamente centrados (como nós já vos dissemos).
Se precisarem de água, peçam com todo o vosso Amor ao deus da água para dar de beber o mundo! Visualizem a água correndo sobre vocês, correndo sobre a natureza. Visualizem a natureza que verdeja, as árvores que se alegram e sobretudo agradeçam! Peçam sempre para que isso se faça com moderação, que não haja chuvas devastadoras mas chuvas com harmonia com o que vocês são, com o vosso estado de paz e serenidade.
Podem agir muito sobre tudo o que vos rodeia com a condição que integrem a paz e a serenidade antes de fazerem um pedido, seja pela chuva, a trovoada ou o vento. Tenham a profunda consciência que se dirigem a um poder real que tem uma consciência, que vos ouve e pode vos atender.
Nos tempos antigos, muitos povos tinham essa consciência. Elas sabiam que o deus da chuva os escutava, os ouvia, os atendia. Eles honravam o deus da chuva com cantos e danças. Não vos pedimos para fazerem a mesma coisa, mas cada um de vocês pode criar um hino à chuva.»
Oh Doce chuva! Agradeço-te por vires regenerar o mundo!
Oh Doce chuva! Agradeço-te por fazeres verdejar a natureza!
Oh Doce chuva! Agradeço-te por me dares de beber pois és preciosa à minha vida!
Oh Doce chuva! Sem ti não poderia existir!
Agradeço-te por me inundares com o teu Amor e a tua generosidade!
Oh Doce chuva! Amo-te e agradeço-te!

Pode reproduzir o texto seguinte e dar cópia dele sob a seguinte condição:
  • que não seja cortado
  • que o seu conteúdo não seja modificado
  • que faça referência ao nosso site http://ducielalaterre.org
  • que o nome de Monique Mathieu seja mencionado

Sem comentários:

Enviar um comentário