O tempo escasseia...


O tempo escasseia…. Cientistas, ”profetas”, falam do fim dos tempos ou melhor dizer o fim de uma civilização. Já entramos no novo ciclo e na nova era, a era de Aquário.

Nestes tempos conturbados, de grandes mudanças a nível da humanidade, a nível do planeta, a nível das consciências, precisamos mudar o nosso nível de ser, o nosso nível de vibração.

Para que isso aconteça precisamos efectuar uma transformação interior, trabalhar sobre nós mesmos. É necessário mudar a nossa forma de pensar, de agir, de falar. Tomar continuamente consciência das nossas dúvidas, medos, sofrimentos, tristezas, a nossa falta de fé e confiança em nós-mesmo.

Esse trabalho deve ser constante com a ajuda da força de vontade, da coragem, da persistência para nos transformar, criando e cultivando a paz, a alegria, a sabedoria, a harmonia, o Amor, com a consciência do nosso sol interior.

Neste blogg podem encontrar alguma orientação. Mas o site http://www.ducielalaterre.org/ é muito mais completo.

Anna Carolina

sábado, 24 de maio de 2014

Lição de Sabedoria nº 19

 
Vejo turbilhões de energia, vejo a cor violeta misturada ao azul índigo muito intenso. Há alguma coisa muito particular, uma energia que não conheço mas que é sublime! Diria que é uma energia que nos abre para uma outra consciência, vem para nos despertar um pouco mais.
Sinto e sobretudo vejo a nossa maravilhosa irmã de Vénus, Eleonora. Ela chega num forte raio de luz, vejo-a quase humana, muito parecida a nós, com uma beleza impossível de descrever, ela diz-me:
«É com uma imensa alegria, um imenso Amor que saúdo os meus irmãos da Terra.
Gostaria de lhes dizer que grandes mudanças estão a acontecer também no nosso mundo, mudanças maravilhosas que acompanhamos. Se a vossa Terra está a mexer, a mudar, se a Lua nossa irmã mudou de dimensão, também nós mexemos muito. A palavra “mexer” não está correcta para nós. Ultrapassámos um grande patamar que nos leva para ainda mais Amor, mais beleza, mais Luz, um patamar que nos permite criar de forma muito mais bela tudo o que criámos até hoje.
Também temos muito mais consciência da Fonte, embora estejamos ainda afastados dela; temos consciência da Sua força, da Sua luz, do Seu Amor que ilumina as nossas vidas, que nos permite criar cada vez melhor em Sua honra.
Gostaria de vos dizer, irmãos da Terra, que grandes momentos acontecerão neste mundo, e avisar-vos que a humanidade precisará trabalhar muito o emocional. Muitas coisas acontecerão, maravilhosas e menos belas, que agitarão muito os seres humanos e que mudarão a sua forma de compreender, de funcionar e de amar. Haverá muitos medos imensos devido à incompreensão, à rejeição de certas coisas que os seres humanos aperceber-se-ão com os seus olhos mas recusarão profundamente por serem demasiado incomodativas na sua forma de ser e de pensar.
Quando o ponto crucial for atingido, tudo irá muito depressa! Vocês estão durante um longo momento como numa embarcação num rio onde existe mais, ou menos corrente, e de uma só vez são levados pelos rápidos antes de reencontrarem as águas calmas. A humanidade vai ficar nesses rápidos. Cada um reagirá então em função do que adquiriu. Agora, gostaria de levar a minha casa o nosso pequeno canal e partilhar com vocês essa viagem.»
Existe um grande vazio em mim. Sinto um formigueiro por todo o lado pois devo mudar de frequência vibratória. Vejo o seu lindo sorriso na Luz. Ela diz-me:
«Confia em mim, confiem em mim.»
Agora vejo junto dela uma outra mulher jovem magnífica. Tem cabelos muito mais curtos, grandes olhos violeta. Ela olha-me com um Amor imenso e um pouco de curiosidade pois vê-nos a todos, mas além da nossa forma humana. Ela diz-me chamar-se Gila. E Diz:
«Vim dar-vos todo o meu Amor, tomar contacto com os nossos irmãos da Terra e ajudar Eleonora para vos trazer ao nosso lugar.»
Agora sou levada por uma espécie de turbilhão imenso. Vejo uma grande luz dourada à minha volta e sou projectada no rasto de Eleonora e de Gila. Tudo acontece cada vez mais rápido, tudo se ilumina cada vez mais.
Agora vejo um astro magnífico, ele ilumina muito mais que a Lua, e aproximo-me dele cada vez mais. Atrás de mim vejo, no nosso trilho, numerosas silhuetas luminosas envolvidas com Luz dourada. Isto cria um cordão de Luz que se dirige para esse mundo. Encontramo-nos instantaneamente numa moradia feita de material que não posso descrever. Não é o mesmo com o qual construímos as nossas casas, é um material transparente (pelo menos é o que me parece) mas também há paredes parecidas com vidro opaco. Ela diz-me:
Não é vidro nenhum! As nossas casas são construídas com um material energético e podemos fazê-las e desfazê-las à vontade quando achamos que não estão suficientemente belas. Construímos outras muito mais belas com grande facilidade e muito grande rapidez».
Agora entramos. As formas são muito suaves, muito agradáveis, com muitos redondos. Não vejo ângulos rectos, há muito poucos móveis, mas ao contrário os quadros que forram as paredes são vivos e parece que podemos penetrá-los. Há paisagens extraordinárias, rostos com beleza, com pureza, com expressão e com um Amor tal que nem consigo expressá-lo!
Na casa encontram-se agora duas outras personagens, uma mulher e um homem um pouco mais velho. Eles acolhem-nos simplesmente abençoando-nos, oferecendo-nos o que possuem de mais querido, isto é o seu Amor. Eles propõem que nos sentemos. Há muito lugar nas cadeiras feitas do mesmo material vivo das paredes. São suaves, muito confortáveis e quentes. Eles dizem-me:
«Agora estamos infinitamente felizes. Sempre o fomos mas aproximamo-nos cada dia mais da Fonte. Na nossa dimensão, temos capacidades que não tínhamos antes e uma compreensão diferente fez-se em nós. Apercebemo-nos do universo como nunca o tínhamos apercebido e podemos recrear uma parte dele nos nossos quadros.
Também estamos muitos felizes porque o nosso coração cresceu ainda mais no Amor e sabemos que podemos restituir tudo isso aos nossos irmãos das outras esferas, essencialmente aos nossos irmãos da Terra que vão renascer muito em breve como aconteceu com Vénus, com a Lua, que também transitou, e como todos os planetas do nosso sistemas solar que transitam uns após os outros.
Imaginem que todos os planetas do vosso sistema representam pequenas luzes e que de uma só vez, pela magia do Pai, as luzes iluminam diferentemente e cada vez mais; é o que está a acontecer actualmente. Todos os planetas do sistema solar e muito além vão irradiar cada vez mais a Luz e o Amor do Pai.
O nosso sistema solar tem uma grande importância pois é uma porta para um Universo em nascimento, do qual teremos a nosso cargo a co-criação, cada um na sua medida, cada um com as suas possibilidades. Ajudaremos com uma consciência maior a co-criar esse Universo com todas as Hierarquias de Luz que nos vêm visitar, tal como viemos visitar-vos.
Muitas coisas se colocam no lugar na vossa Terra, no vosso sistema solar e em todo o Universo. Sentimo-nos cada vez mais próximos de vocês, nossos irmãos da Terra, pois compreendemos a vossa confusão, o vosso sofrimento e a vossa angústia. Não tenham nenhum receio, tudo o que acontecer levar-vos-á realmente ao mundo da Luz e de Amor no qual viverão amanhã.
Pouco importa se houver uma transição pela morte antes de viverem este mundo! A única coisa que conta é saberem que esta Terra tão bela reencontrará o seu lugar verdadeiro no meio de todos os planetas do nosso sistema solar. As relações que se criarão entre os habitantes da Terra e os habitantes dos outros mundos serão muito importantes.
Não se esqueçam do que vos disse: o nosso sistema solar é uma porta para um novo Universo em criação. O universo está em expensão permanente, em criação permanente, e estamos à porta de uma nova criação em que vocês e nós seremos os co-criadores.»
Saímos dessa sala. As quatro personagens levam-nos para o exterior para podermos comtemplar um pouco o seu mundo. Tudo é perfeição, tudo é beleza; os seres humanos têm rostos muito belos, mas o que mais noto, como filha da Terra, é a serenidade e a paz que emana deles. Tenho a impressão que nada os pode atingir, que a sua força é tão grande e o seu Amor tão imenso que nada de desagradável pode atingi-los nem atingir o seu mundo.
Eleonora diz-me:
«Muitos dos nossos irmãos estarão presentes no vosso mundo. Será muito difícil para nós pois precisaremos, através de meios que não conhecem, ter corpo físico, corpo terrestre. Não poderemos ficar muito tempo pois seremos obrigados a voltar para nos regenerar no nosso mundo mas a nossa missão é importante e a ajuda que vos devemos é ainda mais.
O universo é assim feito: cada um ajuda o outro em função do que é quando tem a consciência da ajuda que deve trazer. Os seres que possuem essa consciência muito elevada têm um imenso prazer em ajudar aqueles que estão a despertar. Não é um peso para eles, é de certa forma uma recompensa. Não o esqueçam, e à vossa escala tentem aplicá-lo também na Terra.
A ajuda que devem levar aos vossos irmãos nunca deve ser um peso, mas ao contrário, uma recompensa e um presente para vocês. A recompensa é simplesmente o facto de crescerem sempre no amor que dão àquele que estão a despertar, àqueles que ajudarão.
A nossa recompensa é que podemos crescer mais no Amor. No Universo, aqueles que estiverem mais despertos sempre ajudam os outros a despertar. É uma cadeia inalterável de ajuda ao despertar.»
Agora a paisagem é magnífica, com cores que não consigo descrever. Há animais, aves de todas as cores que vêm posar na Eleonora. Ela comunica telepaticamente com os pássaros que têm cantos magníficos, harmoniosos, e que cantam melodias que parecem orquestradas. Ela diz-me:
«No nosso mundo, todos os seres, todos os animais são evoluídos e podemos comunicar muito facilmente por telepatia com tudo o que vive. Respeitamos totalmente a vida, mesmo a mais pequena, porque sabemos que em qualquer vida mora a Centelha do Pai, da Fonte.»
Agora vejo um magnífico jardim com flores muito odoríferas com grandes corolas de múltiplas cores. Tudo é refrescante. O ar é perfumado, reina uma paz total. Dá vontade de ficar aí. Eleonora diz-me:
«É a altura de regressarem ao vosso lugar, aos vossos corpos físicos. Não esqueçam o que vos disse: vamos estar cada vez mais activos na Terra pois preparam-se grandes eventos. Não tenham nenhum receio. Pelo contrário! Recebam na paz, na serenidade e na alegria qualquer evento que deverão viver. Saibam que não estão sós, que não serão os únicos a viver a transição, que estarão acompanhados pelos vossos grandes irmãos e nós.
Que o Amor cresça em vocês, que o Amor ilumine sempre os vossos corações, que o Amor encha as vossas vidas, que o Amor seja o vosso motor essencial!
Aprendam a consagrar todas as vossas acções ao Amor e no Amor. Tudo ficará muito mais fácil se chamarem o Amor sobre tudo o que fizerem e nos vossos pensamentos.
É a altura de voltarem para os vossos corpos. Estou infinitamente feliz por estar alguns instantes junto de vocês, de vos poder trazer ao meu lugar, de poder amar-vos.»
Vejo agora o seu belo rosto que me sorri e ela diz-me:
«Estejam confiantes, sejam corajosos, irradiem o Amor e a Luz, chamem-na a cada instante sobre vocês e podem estar certos que ela virá!
O Amor e a Luz que chamarem a vocês e em vocês proteger-vos-á de qualquer turbulência, ajudar-vos-á a passar os momentos difíceis e abrirão a vossa consciência além do que podem imaginar.
Sejam abençoados! Amo-vos, que a Luz do nosso astro vos penetre e vos ajude, que o Amor de todos os meus irmãos venha fusionar com o nosso. Digo-vos até breve.»

Pode reproduzir o texto seguinte e dar cópia dele sob a seguinte condição:
  • que não seja cortado
  • que o seu conteúdo não seja modificado
  • que faça referência ao nosso site http://ducielalaterre.org
  • que o nome de Monique Mathieu seja mencionado

Sem comentários:

Enviar um comentário