O tempo escasseia...


O tempo escasseia…. Cientistas, ”profetas”, falam do fim dos tempos ou melhor dizer o fim de uma civilização. Já entramos no novo ciclo e na nova era, a era de Aquário.

Nestes tempos conturbados, de grandes mudanças a nível da humanidade, a nível do planeta, a nível das consciências, precisamos mudar o nosso nível de ser, o nosso nível de vibração.

Para que isso aconteça precisamos efectuar uma transformação interior, trabalhar sobre nós mesmos. É necessário mudar a nossa forma de pensar, de agir, de falar. Tomar continuamente consciência das nossas dúvidas, medos, sofrimentos, tristezas, a nossa falta de fé e confiança em nós-mesmo.

Esse trabalho deve ser constante com a ajuda da força de vontade, da coragem, da persistência para nos transformar, criando e cultivando a paz, a alegria, a sabedoria, a harmonia, o Amor, com a consciência do nosso sol interior.

Neste blogg podem encontrar alguma orientação. Mas o site http://www.ducielalaterre.org/ é muito mais completo.

Anna Carolina

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Escola de Sabedoria

 
«Vamos dizer-vos o que consideramos realmente uma “Escola de Sabedoria”.
Uma Escola de Sabedoria que se dirige à mente ou ao intelecto, que também satisfaz o ego através do ensinamento de técnicas ou de certas performances não é verdadeiramente uma Escola de Sabedoria.
O que consideramos como Escola de Sabedoria é uma escola que pode realmente guiar-vos no caminho da transformação, não com o que poderiam chamar “uma magia operacional”, mas com tomadas de consciência, um trabalho real sobre si no desapego, na aceitação, no conhecimento do que são e do que se podem tornar graças ao vosso trabalho e ao vosso Amor.
Consideramos que em tudo o que tentamos ensinar-vos desde há muitos e muitos anos terrestres, vocês têm tudo para avançar, tudo para compreender, tudo para se transformarem e se libertarem das correntes e das armadilhas da matéria.
No entanto, compreendemos que numa Escola de Sabedoria na qual se encontram neste momento, escola que tentamos manter durante numerosos anos, nem sempre é fácil para vocês agir e compreender.
O importante não é quererem avançar com uma grande rapidez! Não é o que aprendem mentalmente (como em certas escolas que se pretendem ”Escolas de Sabedoria”), não é com quantidade de técnicas que avançarão, porque mesmo que não se dêem conta, elas satisfazem o vosso ego e o ego nunca vos leva a avançar espiritualmente. O ego pode preencher vazios, pode dar ao neófito a impressão que avança, mas é um logro! O ego é um logro para aquele que procura o caminho, no entanto é-lhe útil pois é uma ferramenta preciosa que permite ao ser humano avançar e compreender, com a condição que não tome todo o espaço nele.
O verdadeiro Investigador, o verdadeiro Trabalhador da Luz, o verdadeiro neófito, aprenderá realmente o que é a Sabedoria. Ao longo da sua vida, eles tentarão pô-la em prática nos seus comportamentos, na sua forma de gerir as suas emoções, na sua forma de manifestar o seu Amor, na alegria que poderão expressar, na serenidade que sentirá.
O verdadeiro Investigador, é o neófito que no caminho avança passo a passo, mas com a consciência das suas capacidades e a vontade de trabalhar dia após dia no seu próprio aperfeiçoamento.
O verdadeiro neófito trabalhará muito mais com o cérebro do coração que com a mente e o cérebro da cabeça. No entanto, é preciso que haja um acordo entre o cérebro do coração e o da cabeça; não é preciso mentalizar demasiado, mas para haver discernimento é por vezes necessário passar pela análise do cérebro.
O neófito que está no caminho deverá mostrar provas de coragem, abnegação, compreensão, respeito por ele mesmo e pelos outros.
O neófito que está no caminho deverá compreender, trabalhar e transcender os seus medos, pois os medos que não conhece necessariamente podem ser legião nele. Os medos são por vezes muito suteis; por isso, nem sempre os reconhece, no entanto eles podem existir e alimentar-se da sua própria energia, e alimentam-se também porque ele lhes dá vida, porque ele lhes dá corpo.
O neófito que está no caminho também deve ter a capacidade de questionar-se, de compreender por ele mesmo.
Nós, damo-vos bases solidas! Estejam certos que sempre vos levaremos, pouco a pouco, à compreensão do que são. Se se abrirem suficientemente, se tiverem suficientemente Amor por vós mesmos e pela vida, conseguirão realizar-se.
O que quer dizer “conseguir realizar-se”? Claro, a perfeição não existindo na matéria, conseguirão realizar-se em função do que são como alma e em função da vossa programação, em função do vosso passado e das vossas vidas anteriores. Nesta existência, neste período tão particular, tudo se acelera, o que vos permite compreender e avançar de forma muito mais eficaz que há alguns anos!
O neófito que está no caminho, o Investigador da Sabedoria e da Luz, também deve compreender a diferença entre a ilusão e a realidade, entre a ilusão espiritual e o verdadeiro progresso espiritual, entre a ilusão do Amor e o Amor que pode dar sem esperar nada, gratuitamente, simplesmente por amar.
O neófito que está no caminho também tem de ultrapassar certas tentações, porque na matéria há sempre armadilhas e tentações. Aquele que estiver bem ancorado não encontrará armadilhas no seu caminho, compreenderá antes das tentações se manifestarem. Essas tentações e essas armadilhas poderão destruir certos seres humanos.
Mesmo para aqueles que começaram um caminho espiritual, a tentação é parar e ir por um caminho de prazeres, um caminho totalmente adequado à vibração e à energia de uma grande parte da humanidade. É a tentação das “alegrias primárias”; dizemos “primárias” pois consideramos que os prazeres actuais dos humanos situam-se essencialmente no poder, no dinheiro e no sexo por vezes muito desenfreado. Esses prazeres nunca levarão o neófito a avançar no caminho, por outro lado serão por vezes armadilhas que talvez deva defrontar ou certamente ultrapassar.
O neófito que está no caminho por vezes é impaciente; gostaria de avançar mais depressa, aprender mais depressa e cansa-se!
O verdadeiro caminho leva à realização de vós mesmos, ao conhecimento de vós mesmos, e permite-vos aceder ao imenso Amor contido em outras partes de vós, essas partes de Luz que são a vossa alma e a vossa Parte Divina.
O neófito que está no caminho deverá pouco a pouco tomar consciência do que é além do humano, deverá tomar consciência que antes de mais ele é a sua alma, deverá tomar consciência que além do humano e da alma existe o Ser Divino, o Ser de Luz, aquele que foi nos outros mundos noutras circunstâncias, com uma outra consciência, com um outro Amor.»

Pode reproduzir o texto seguinte e dar cópia dele sob a seguinte condição:
  • que não seja cortado
  • que o seu conteúdo não seja modificado
  • que faça referência ao nosso site http://ducielalaterre.org
  • que o nome de Monique Mathieu seja mencionado

Sem comentários:

Enviar um comentário